Nem Abraão, nem Moisés, nem Elizeu, nem Gideão, nem Elias, nem Davi, nem Pedro, nem Paulo (nenhum apóstolo, principalmente os modernos -, PAIpóstolo + Patriarca... "cruz credo"!), nem Maria, nem papa, nem igreja (nenhuma), nem pastor, nem religião (nenhuma) -, Só tenho JESUS CRISTO como ÚNICO FUNDAMENTO (tá bom!?).

Blog criado para honrar somente o NOME do autor e consumador da nossa fé (DEUS CRISTO)! Porque DELE, e por meioDELE, e para ELE são todas as coisas. A ELE, pois, a GLÓRIA ETERNAMENTE AMÉM! ROMANOS Cp 11 Vs: 36


Aloísio, cooperador de CRISTO JESUS

domingo, 15 de fevereiro de 2015

A doutrina de Balaão


A doutrina de Balaão

Quero neste momento, abordar esta palavra, pois ao ler a passagem bíblica que trata do assunto, me senti atraído pelo ESPÍRITO SANTO a meditar; fiquei dois dias com esta palavra na mente, perguntava a DEUS: porque? DEUS respondeu ao meu espírito: porque quero, pois este é o ministério que confiei a ti, ministério de desperta mento...



E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos DESPERTARDES do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos (Rm 13: 11).

Embora saiba que muitos não ouvirão, porque irão preferir continuar a seguir a carne e sangue (homem), tenho que cumprir cabalmente o ministério que o SENHOR confiou-me, ademais, JESUS mandou pregar o evangelho, não mandou convencer ninguém. ELE mesmo, não foi ouvido pela maioria dos judeus, ao ponto de acusarem o SALVADOR de expelir demônios pelo poder de belzebu (Mt 12: 24), e muitas outras coisas. Bom vamos a mensagem.

Balaão – Que dizer: devorador – extraído do dicionário bíblico John D. Davis pg 70.

Ele (Balaão) tinha sido visitado por algumas pessoas, que vieram da parte de Balaque rei de Moabe, porque Israel estava acampado nas campinas dos moabitas.

A fama de Israel havia se espalhado por toda redondeza; por isto Balaque, queria que Balaão amaldiçoasse Israel; afim que através da guerra os lançasse fora.

Antes que Balaão consultasse ao SENHOR, o SENHOR DEUS veio a Balaão perguntando quem eram aqueles homens. O profeta respondeu que eram enviados do rei Balaque, e falou o que queriam. DEUS respondeu: não irás com ele, nem amaldiçoarás o povo; porque é povo abençoado (Nm 22: 12). DEUS era favor de Israel, o SENHOR prometeu uma terra que manaria leite e mel. Todos obstáculos que estivessem no caminho de Israel, seriam removidos, todos que se voltassem contra Israel, seria como se voltassem contra o DEUS VIVO.

Balaão depois de ouvir o que DEUS dissera, transmitiu aos príncipes de Balaque o seguinte: tornai a vossa terra, porque o SENHOR se recusa deixar-me ir convosco (Nm 22: 13). Bom, Balaão só dissera aos prícipes de Moabe, que DEUS não o deixara ir com eles, mas não disse que o SENHOR havia falado, que o povo era povo abençoado. Notamos aqui, uma falta de caráter do profeta, pois não falou toda verdade. Assim são muitos nos dias atuais, não falam toda verdade, é como costumo disser: meia verdade não é a verdade. Não satisfeito, o rei Balaque, mandou novamente outra vez príncipes a Balaão; só desta vez, em maior número e mais honrados. Balaque ofereceu até bens matérias se Balaão amaldiçoasse Israel, mas Balaão disse, que, o que, o SENHOR o mandasse dizer, ele diria. Mandou que os enviados de Balaque aguardassem até que ele (Balaão) falasse com DEUS, foi o que os Moabitas fizeram. O SENHOR veio A Balaão de noite e disse-lhe: Se aqueles homens vierem chamar-te, vai com eles; TODAVIA FARÁS SOMENTE O QUE EU TE DISSER (Nm 22: 20). No vs 21 diz que Balaão preparou a jumenta e partiu com os príncipes moabitas, razão pela qual a ira de DEUS se acendeu contra ele (Balaão), pois desobedecera ao SENHOR; não esperou que os homens o procurassem, mas, se antecipou, pois no fundo Balaão desejava amaldiçoar a Israel.


 Só que o Anjo do SENHOR, estava no caminho como impedimento, foi visto pela jumenta, mas não por Balaão. Por três vezes Balaão bateu na jumenta, pois se recusara ir pelo caminho de Balaão, por ter visto o Anjo do SENHOR com uma espada desembainhada na mão. Às vezes insistimos em irmos por caminho que DEUS não quer, pensamos que tais caminhos são caminhos direitos, pensamos que é o melhor. Mas DEUS é quem sabe de todas as coisas, não só sabe, como quer o melhor para nós.

Lembro-me de uma pessoa, que orou a DEUS acerca de uma situação, e depois foi buscá-la; só que dava tudo errado, ela insistia e continuava dando errado, então falava: é o diabo que está impedindo que eu vá por este caminho..., continuava a insistir, mas havia uma barreira. Mas de tanto insistir, DEUS permitiu que ela fosse por aquele caminho, resultado: deu tudo errado, DEUS não estava na causa, e não estando na causa, não tem como dar certo. Nós temos que confiar em DEUS, quando orar-mos a ELE, temos que crer que nos responderá, mesmo no silêncio. DEUS é fiel!

Então DEUS fez falar a jumenta (Nm 22: 28).

Gostaria que os amados prestassem atenção neste episódio e no que vou relatar neste momento: já ouvi muitos pregadores, muitas pessoas, falarem que DEUS usou uma jumenta; pois bem: lendo e relendo esta passagem da bíblia, não entendi desta maneira, ela não diz que DEUS usou uma jumenta. Ela diz que DEUS fez falar a jumenta, fazer falar é uma coisa, mas daí dizer que o SENHOR a usou, é completamente diferente. Aqueles que dizem que a jumenta não permitiu que Balaão seguisse por aquele caminho, devem prestar mais a atenção; pois não foi a jumenta que estava como impedimento, e sim o Anjo do SENHOR. Vamos ver como foi o diálogo do profeta com a jumenta: Que te fiz eu, que me espancaste já três vezes? Respondeu Balaão a jumenta: porque zombaste de mim; tivera eu uma espada na mão e, agora, te mataria. Replicou a jumenta a Balaão: porventura, não sou eu tua jumenta, em que toda tua vida cavalgaste até hoje? Acaso, tem sido meu costume fazer assim contigo? Ele RESPONDEU: NÃO. Notamos que a jumenta, tratou de algo, entre ela e Balaão, ou seja, da fidelidade dela e o fato do profeta a ter espancado por três vezes, nada haver acerca da desobediência de Balaão ao SENHOR.

Agora vamos ver a insensatez do profeta, na qual o apóstolo Pedro se referiu: ... recebeu, porém, castigo da sua transgressão, a saber, um mudo animal de carga, falando com voz humana, refreou a insensatez do profeta (II Pedro 2: 16). Repito: DEUS não falou através do animal, deu voz ao animal. Então qual foi à insensatez do profeta? A insensatez da ingratidão e de surrar o animal. A expressão correta que as pessoas deveriam usar, seria: DEUS fez falar a jumenta, não DEUS usou a jumenta, ou usou um animal. Balaão estava com os olhos vendados, não viu o Anjo do SENHOR; e ainda bateu boca com o animal, no final o animal se prevaleceu, note o final do diálogo: Acaso, tem sido meu costume fazer assim contigo? Ele respondeu: não. DEUS abriu os olhos de Balaão, então ele viu o Anjo do SENHOR, que logo, o repreendeu por ter espancado a jumenta e disse que tinha saído como seu adversário. Quem repreendeu o profeta acerca do caminho perverso, foi o Anjo do SENHOR que estava no caminho como seu adversário, e não a jumenta.

Então o Anjo do SENHOR, mandou que Balaão fosse, até o rei Balaque e este voltou a pedir, que o profeta amaldiçoasse a Israel, eis a resposta: Como posso amaldiçoar a quem DEUS não amaldiçoou? Como posso denunciar a quem DEUS não denunciou (Nm 23: 8)?

Balaque já estava indignado porque não tinha maldição nenhuma contra Israel, enquanto Israel não desobedecesse a DEUS.

Mas no fundo, Balaão queria ver Israel amaldiçoado. Tanto que antes de ir embora, ensinou sua doutrina ao rei Balaque. Está doutrina nós encontramos no livro de( Nm Cp 31: 16).

Mas o próprio SENHOR JESUS CRISTO, fez menção dela em (Ap 2: 14). Vamos ver: Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição.

Entenderam? A doutrina de Balaão era diabólica.
1 – Armar ciladas contra os filhos de Israel (hoje igreja de cristo).
2 – Comerem coisas sacrificadas aos ídolos.
3 – praticarem a prostituição.

Tais coisas afastariam o favor de DEUS a Israel. A princípio, esta doutrina funcionou, pois após praticarem tais coisas; houve uma praga em sobre os filhos de Israel; praga esta que matou vinte quatro mil pessoas. Esta praga só cessou, quando o neto de Arão, o sacerdote, atravessou com sua lança um israelita e uma medianita.


Esta doutrina de Balaão está acontecendo nos dias atuais. Como?! Tem muitos ministérios armando ciladas contra o povo de DEUS. Como campanhas que não tem nada haver com as sagradas letras (bíblia). A apostasia que está acontecendo em muitas igrejas, isso é prostituição espiritual. Está valendo qualquer coisa por dinheiro. Não satisfeitos alguns pastores com os 10% do povo, já estão até pedindo o dízimo dobrado, ou seja. 20% (JÁ CHEGARAM A PEDIR 30%, O TRÍZIMO) Estão acrescentando coisas que não estão na bíblia, este é apenas um exemplo; mas os absurdos estão espalhados por aí, é só ligar a televisão e assistir um desses programas “evangélicos”.

Israel fez guerra contra os medianitas, e nesta guerra, lá estava Balaão no meio dos inimigos do povo de DEUS. Balaão teve seu fim, morreu ao fio da espada, ele e também os que se deixaram levar por suas doutrinas.



“... abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que AMOU o prêmio da injustiça... esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas pelo temporal. Para eles está reservada a NEGRIDÃO DAS TREVAS; porquanto, proferindo palavras jactanciosas de vaidade, engodam com paixões carnais, por suas libertinagens, aqueles que estavam prestes a fugir dos que andam no erro, prometendo liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção, pois aquele que é vencido fica escravo do vencedor (II Pedro 2: 15;17-18-19).

Graça e paz!
Aloísio, cooperador de CRISTO...