Nem Abraão, nem Moisés, nem Elizeu, nem Gideão, nem Elias, nem Davi, nem Pedro, nem Paulo (nenhum apóstolo, principalmente os modernos -, PAIpóstolo + Patriarca... "cruz credo"!), nem Maria, nem papa, nem igreja (nenhuma), nem pastor, nem religião (nenhuma) -, Só tenho JESUS CRISTO como ÚNICO FUNDAMENTO (tá bom!?).

Blog criado para honrar somente o NOME do autor e consumador da nossa fé (DEUS CRISTO)! Porque DELE, e por meioDELE, e para ELE são todas as coisas. A ELE, pois, a GLÓRIA ETERNAMENTE AMÉM! ROMANOS Cp 11 Vs: 36


Aloísio, cooperador de CRISTO JESUS

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Julio Severo: A maior máquina assassina da história da humanidad...

Julio Severo: A maior máquina assassina da história da humanidad...: A maior máquina assassina da história da humanidade Mike Konrad  Comentário de Julio Severo: Este artigo extremamente instrutivo me ...

NOTÍCIAS CRISTÃS: Sudanesa grávida é condenada à morte por ser crist...

NOTÍCIAS CRISTÃS: Sudanesa grávida é condenada à morte por ser crist...: Segundo a sentença, Ishaq receberá 100 chibatadas como castigo e depois será enforcada. A Justiça do Sudão condenou à morte por enforcame...

Alerta: Vídeo falso produzido por membros da Universal calunia evangélico por motivos eleitorais | Genizah

Alerta: Vídeo falso produzido por membros da Universal calunia evangélico por motivos eleitorais | Genizah

Alerta: Vídeo falso produzido por membros da Universal calunia evangélico por motivos eleitorais | Genizah

Alerta: Vídeo falso produzido por membros da Universal calunia evangélico por motivos eleitorais | Genizah

JESUS CRISTO ÚNICO FUNDAMENTO


LIVRO O ÚLTIMO DIA -POR ALOÍSIO

domingo, 15 de fevereiro de 2015

A doutrina de Balaão


A doutrina de Balaão

Quero neste momento, abordar esta palavra, pois ao ler a passagem bíblica que trata do assunto, me senti atraído pelo ESPÍRITO SANTO a meditar; fiquei dois dias com esta palavra na mente, perguntava a DEUS: porque? DEUS respondeu ao meu espírito: porque quero, pois este é o ministério que confiei a ti, ministério de desperta mento...



E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos DESPERTARDES do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos (Rm 13: 11).

Embora saiba que muitos não ouvirão, porque irão preferir continuar a seguir a carne e sangue (homem), tenho que cumprir cabalmente o ministério que o SENHOR confiou-me, ademais, JESUS mandou pregar o evangelho, não mandou convencer ninguém. ELE mesmo, não foi ouvido pela maioria dos judeus, ao ponto de acusarem o SALVADOR de expelir demônios pelo poder de belzebu (Mt 12: 24), e muitas outras coisas. Bom vamos a mensagem.

Balaão – Que dizer: devorador – extraído do dicionário bíblico John D. Davis pg 70.

Ele (Balaão) tinha sido visitado por algumas pessoas, que vieram da parte de Balaque rei de Moabe, porque Israel estava acampado nas campinas dos moabitas.

A fama de Israel havia se espalhado por toda redondeza; por isto Balaque, queria que Balaão amaldiçoasse Israel; afim que através da guerra os lançasse fora.

Antes que Balaão consultasse ao SENHOR, o SENHOR DEUS veio a Balaão perguntando quem eram aqueles homens. O profeta respondeu que eram enviados do rei Balaque, e falou o que queriam. DEUS respondeu: não irás com ele, nem amaldiçoarás o povo; porque é povo abençoado (Nm 22: 12). DEUS era favor de Israel, o SENHOR prometeu uma terra que manaria leite e mel. Todos obstáculos que estivessem no caminho de Israel, seriam removidos, todos que se voltassem contra Israel, seria como se voltassem contra o DEUS VIVO.

Balaão depois de ouvir o que DEUS dissera, transmitiu aos príncipes de Balaque o seguinte: tornai a vossa terra, porque o SENHOR se recusa deixar-me ir convosco (Nm 22: 13). Bom, Balaão só dissera aos prícipes de Moabe, que DEUS não o deixara ir com eles, mas não disse que o SENHOR havia falado, que o povo era povo abençoado. Notamos aqui, uma falta de caráter do profeta, pois não falou toda verdade. Assim são muitos nos dias atuais, não falam toda verdade, é como costumo disser: meia verdade não é a verdade. Não satisfeito, o rei Balaque, mandou novamente outra vez príncipes a Balaão; só desta vez, em maior número e mais honrados. Balaque ofereceu até bens matérias se Balaão amaldiçoasse Israel, mas Balaão disse, que, o que, o SENHOR o mandasse dizer, ele diria. Mandou que os enviados de Balaque aguardassem até que ele (Balaão) falasse com DEUS, foi o que os Moabitas fizeram. O SENHOR veio A Balaão de noite e disse-lhe: Se aqueles homens vierem chamar-te, vai com eles; TODAVIA FARÁS SOMENTE O QUE EU TE DISSER (Nm 22: 20). No vs 21 diz que Balaão preparou a jumenta e partiu com os príncipes moabitas, razão pela qual a ira de DEUS se acendeu contra ele (Balaão), pois desobedecera ao SENHOR; não esperou que os homens o procurassem, mas, se antecipou, pois no fundo Balaão desejava amaldiçoar a Israel.


 Só que o Anjo do SENHOR, estava no caminho como impedimento, foi visto pela jumenta, mas não por Balaão. Por três vezes Balaão bateu na jumenta, pois se recusara ir pelo caminho de Balaão, por ter visto o Anjo do SENHOR com uma espada desembainhada na mão. Às vezes insistimos em irmos por caminho que DEUS não quer, pensamos que tais caminhos são caminhos direitos, pensamos que é o melhor. Mas DEUS é quem sabe de todas as coisas, não só sabe, como quer o melhor para nós.

Lembro-me de uma pessoa, que orou a DEUS acerca de uma situação, e depois foi buscá-la; só que dava tudo errado, ela insistia e continuava dando errado, então falava: é o diabo que está impedindo que eu vá por este caminho..., continuava a insistir, mas havia uma barreira. Mas de tanto insistir, DEUS permitiu que ela fosse por aquele caminho, resultado: deu tudo errado, DEUS não estava na causa, e não estando na causa, não tem como dar certo. Nós temos que confiar em DEUS, quando orar-mos a ELE, temos que crer que nos responderá, mesmo no silêncio. DEUS é fiel!

Então DEUS fez falar a jumenta (Nm 22: 28).

Gostaria que os amados prestassem atenção neste episódio e no que vou relatar neste momento: já ouvi muitos pregadores, muitas pessoas, falarem que DEUS usou uma jumenta; pois bem: lendo e relendo esta passagem da bíblia, não entendi desta maneira, ela não diz que DEUS usou uma jumenta. Ela diz que DEUS fez falar a jumenta, fazer falar é uma coisa, mas daí dizer que o SENHOR a usou, é completamente diferente. Aqueles que dizem que a jumenta não permitiu que Balaão seguisse por aquele caminho, devem prestar mais a atenção; pois não foi a jumenta que estava como impedimento, e sim o Anjo do SENHOR. Vamos ver como foi o diálogo do profeta com a jumenta: Que te fiz eu, que me espancaste já três vezes? Respondeu Balaão a jumenta: porque zombaste de mim; tivera eu uma espada na mão e, agora, te mataria. Replicou a jumenta a Balaão: porventura, não sou eu tua jumenta, em que toda tua vida cavalgaste até hoje? Acaso, tem sido meu costume fazer assim contigo? Ele RESPONDEU: NÃO. Notamos que a jumenta, tratou de algo, entre ela e Balaão, ou seja, da fidelidade dela e o fato do profeta a ter espancado por três vezes, nada haver acerca da desobediência de Balaão ao SENHOR.

Agora vamos ver a insensatez do profeta, na qual o apóstolo Pedro se referiu: ... recebeu, porém, castigo da sua transgressão, a saber, um mudo animal de carga, falando com voz humana, refreou a insensatez do profeta (II Pedro 2: 16). Repito: DEUS não falou através do animal, deu voz ao animal. Então qual foi à insensatez do profeta? A insensatez da ingratidão e de surrar o animal. A expressão correta que as pessoas deveriam usar, seria: DEUS fez falar a jumenta, não DEUS usou a jumenta, ou usou um animal. Balaão estava com os olhos vendados, não viu o Anjo do SENHOR; e ainda bateu boca com o animal, no final o animal se prevaleceu, note o final do diálogo: Acaso, tem sido meu costume fazer assim contigo? Ele respondeu: não. DEUS abriu os olhos de Balaão, então ele viu o Anjo do SENHOR, que logo, o repreendeu por ter espancado a jumenta e disse que tinha saído como seu adversário. Quem repreendeu o profeta acerca do caminho perverso, foi o Anjo do SENHOR que estava no caminho como seu adversário, e não a jumenta.

Então o Anjo do SENHOR, mandou que Balaão fosse, até o rei Balaque e este voltou a pedir, que o profeta amaldiçoasse a Israel, eis a resposta: Como posso amaldiçoar a quem DEUS não amaldiçoou? Como posso denunciar a quem DEUS não denunciou (Nm 23: 8)?

Balaque já estava indignado porque não tinha maldição nenhuma contra Israel, enquanto Israel não desobedecesse a DEUS.

Mas no fundo, Balaão queria ver Israel amaldiçoado. Tanto que antes de ir embora, ensinou sua doutrina ao rei Balaque. Está doutrina nós encontramos no livro de( Nm Cp 31: 16).

Mas o próprio SENHOR JESUS CRISTO, fez menção dela em (Ap 2: 14). Vamos ver: Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição.

Entenderam? A doutrina de Balaão era diabólica.
1 – Armar ciladas contra os filhos de Israel (hoje igreja de cristo).
2 – Comerem coisas sacrificadas aos ídolos.
3 – praticarem a prostituição.

Tais coisas afastariam o favor de DEUS a Israel. A princípio, esta doutrina funcionou, pois após praticarem tais coisas; houve uma praga em sobre os filhos de Israel; praga esta que matou vinte quatro mil pessoas. Esta praga só cessou, quando o neto de Arão, o sacerdote, atravessou com sua lança um israelita e uma medianita.


Esta doutrina de Balaão está acontecendo nos dias atuais. Como?! Tem muitos ministérios armando ciladas contra o povo de DEUS. Como campanhas que não tem nada haver com as sagradas letras (bíblia). A apostasia que está acontecendo em muitas igrejas, isso é prostituição espiritual. Está valendo qualquer coisa por dinheiro. Não satisfeitos alguns pastores com os 10% do povo, já estão até pedindo o dízimo dobrado, ou seja. 20% (JÁ CHEGARAM A PEDIR 30%, O TRÍZIMO) Estão acrescentando coisas que não estão na bíblia, este é apenas um exemplo; mas os absurdos estão espalhados por aí, é só ligar a televisão e assistir um desses programas “evangélicos”.

Israel fez guerra contra os medianitas, e nesta guerra, lá estava Balaão no meio dos inimigos do povo de DEUS. Balaão teve seu fim, morreu ao fio da espada, ele e também os que se deixaram levar por suas doutrinas.



“... abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que AMOU o prêmio da injustiça... esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas pelo temporal. Para eles está reservada a NEGRIDÃO DAS TREVAS; porquanto, proferindo palavras jactanciosas de vaidade, engodam com paixões carnais, por suas libertinagens, aqueles que estavam prestes a fugir dos que andam no erro, prometendo liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção, pois aquele que é vencido fica escravo do vencedor (II Pedro 2: 15;17-18-19).

Graça e paz!
Aloísio, cooperador de CRISTO...

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Catolicismo um outro evangelho

Catolicismo um outro evangelho

 outubro 26, 2009
|
 8 Comentários
|

Catolicismo um outro evangelho

Uma verdade inegável na Bíblia Sagrada é o fato de que o Evangelho não pode ser mudado. Ao contrario! Qualquer mudança imposta desonestamente no conceito outrora já estabelecido por Deus, Jesus e seus Apóstolos, implicaria na condenação do homem responsável por esta atitude. Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro (Ap 22.18).”
O Evangelho apresentado por Cristo, foi exposto muito claramente, o qual também foi complementado por todo o contexto inspirado de toda a Escritura Sagrada.
A medida que novos conceitos vão sendo inseridos na mensagem pura do Evangelho, este vai perdendo sua clareza e sendo reduzido a tão somente uma religião ou manifestação humana.
Um certo pastor expressando-se sobre o evangelho de Cristo e a mistura com o paganismo, proferiu a seguinte reflexão:
“Se pegarmos um barril de 10 litros de leite e retirarmos apenas 1 litro e completarmos o barril com outra substancia qualquer, ainda assim teríamos os mesmos 10 litros de leite, porem um leite menos nutritivo já que agora seria um alimento misturado que perdeu parte de suas propriedades. Mas ainda assim seria leite!”

Esta ilustração embora pareça correta e reflita bem o evangelho que muitas igrejas vem vivendo em nossos últimos dias, não pode ser aplicada em relação ao Evangelho de Cristo, pois não existe meio Evangelho. Não pode haver mistura na Palavra e nos ensinamentos do Senhor Jesus.
Não é possível aceitar um evangelho misturado ou adulterado com tradições pagãs e conceitos políticos, ou mesmo alterado em concílios e reuniões, pois a Bíblia interpreta a Bíblia. Tal como alguns afirmam: “O evangelho é tão simples e claro que até mesmo as crianças seriam capazes de entender.” Tal expressão parece absurda para o Catolicismo, mais esta é a natureza do Evangelho.
Deus não nos deu mistérios indecifráveis, e sim uma mensagem clara de salvação. Esta mensagem não deve ser mudada através de tradições e sim seguida conforme apresentada, pois são revelações do Espírito Santo.“E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia esclareça, e a estrela da alva apareça em vosso coração, sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo” (2 Pe 1.19-21).
Não nos enganemos quanto a isso, o Evangelho não pode conter simbolismo ou liturgias retiradas de outras religiões. Não há associação entre o Evangelho apresentado na Bíblia com o evangelho apresentado pelo Catolicismo Romano.
Não vemos no Evangelho de Cristo a adoração a Santos! Não encontramos uma “deusa” chamada de rainha dos céus! Nem mesmo velas ou imagens e rituais místicos dos quais são abundantes dentro do Catolicismo! Não temos um Sumo Pontífice, pois este sempre foi um titulo pagão e nunca um atributo cristão. Não fazemos peregrinações ou promessas pois Cristo está sempre ao lado daquele que o aceita.
“A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou, no corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis, Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro.” (Col. 1: 21-23)
O Catolicismo é perceptivelmente um outro evangelho, pois seus rituais costumes e ensinamentos são na maioria das vezes contrários aos ensinamentos de Cristo. E quanto a outros evangelhos a própria Bíblia nos ensina que deveríamos considerar malditos ou seja “ANÁTEMA”.
“Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” (Gal. 1:8)
Os deuses do Paganismo e seus símbolos dentro do Catolicismo
Não somente uma enorme variedade de imagens representando o Sol são encontradas na liturgia católica, como também de igual modo vemos que esta mistura foi realmente intencional, pois os símbolos do paganismo foram inseridos diretamente em altares e objetos de culto, provavelmente para que os pagãos não notassem a diferença dos seus cultos para as cerimônias do Catolicismo. Isso não seria de se espantar já que esta é uma religião que sempre foi imposta por meio da força, conforme fez Constantino e todos os outros lideres católicos que o sucederam.
Percebamos que quem inseriu todo este misticismo e culto a deuses estranhos dentro do seio da igreja que antes disso podia se considerar cristã, não se preocupou em ocultar suas intenções
Temos abaixo alguns símbolos de Baal e Shamash, que ao compararmos com símbolos do Catolicismo, percebemos não haver diferença nenhuma, visto que todos são atribuídos a adoração ao deus Sol.
Acima temos uma coluna do deus pagão Baal, também adorado como sendo o deus Sol. Esta coluna foi encontrada na cidade Cananita, Hazor, no norte de Israel, datada de 1300 anos antes da época de Cristo. Ao seu lado vemos a representação de Shamassh um outro deus Sol adorado pelos Babilônicos
O que estas imagens tem em comum? Ambas tem o símbolo cerimonial representando a divindade solar, um circulo com uma espécie de estrela em seu inteiror, ou mesmo um tipo de cruz em outras representações.
Também encontramos em abundancia este símbolo em meio a alteres, castiçais, construções e outros utensílios do culto católico, provando que não somente ha. uma ligação ou coincidência litúrgica entre o Catolicismo e o Paganismo, mas o Catolicismo seria o próprio Paganismo pois até os seus mais preciosos símbolos místicos foi capaz de incorporar em sua liturgia.
Abaixo a esquerda a praça São Pedro em Roma e a direita o símbolo de baal
É incrível como podemos encontrar praticamente qualquer símbolo ou cerimonial pagão dentro do Catolicismo. Mesmo que uma parte destas observações fossem apenas uma infeliz coincidência, o que não é o caso, não seria possível negar que isso foi cociente e proposital.
Até nas vestimentas percebe-se o sincretismo, onde os lideres Católicos procuraram tornar o culto ao Deus verdadeiro exatamente igual ao culto a deuses do paganismo, modificando as vestimentas do sacerdote para que este não pudesse ser distinguido dos sacerdotes pagãos
Na imagem seguinte temos a representação de um sacerdote do falso deus Dagom. Este foi um dos mais terríveis demônios pagãos dos quais Deus Jeová travou batalhas e ordenou que seu culto fosse destruído pelo povo de Israel. Esse ídolo tinha o corpo de um peixe, a cabeça e os braços de um homem. Era uma deidade da assíria-babilônia.” [Easton’s Illustrated Dictionary]. “O nome Dagom refere-se a Peixinho; diminutivo de dag = peixe, o deus-peixe; o deus nacional dos filisteus (Juízes 16:23)
Seus profetas e sacerdotes usavam uma manta e mitra em forma de peixe. Na extremidade esquerda você vê um sacerdote de Dagom vestido com uma mitra espargindo água benta com uma mão e segurando uma vasilha de água na outra. A figura na direita superior mostra dois sacerdotes de Dagom espargindo água benta enquanto olham para um símbolo egípcio da adoração ao sol. Esta cerimônia ocorria exatamente dessa forma nas tradições do paganismo Isso não nos parece familiar?
O que temos aqui não são somente as vestimentas dos sacerdotes católicos, mas também a liturgia usada por eles em suas missas e celebrações, provando que este costume foi incorporado ao Catolicismo diretamente do culto a Dagom
Abaixo à esquerda temos a imagem do rei assírio Shamshi-Adad V, esta escultura é datada de aproximadamente 824-811 a.C. O rei carrega uma cruz maltesa grande no seu peito, como um símbolo alternativo de Shamash, deus do sol e da justiça. Em vestimentas sacerdotais católicas também encontramos o mesmo símbolo pagão.
Não é diferente nos exemplos que mostraremos a seguir, onde a aliança entre o Catolicismo e o paganismo chega a ser inegável. Temos uma escultura do rei assírio Ashurnasirpal II (883-859 a.C) onde encontramos outra vez a imagem da cruz maltesa no peito. Ele esta apontando para o Sol que demonstra toda a sua adoração ao falso deus sol shamash. Podemos perceber a imagem do Sol em seu pulso. Ao seu lado vemos uma foto do papa João XXIII, curiosamente portando os mesmos símbolos em suas vestimentas e exatamente no mesmo lugar.
Apenas em uma imagem do sumo pontífice do Catolicismo o papa Bento XVI (“World Photos: Golden Robe of Pope Benedict XVI”, Yahoo News, 25/4/2005.) encontramos alguns símbolos e sinais litúrgicos bem conhecidos por pagãos e satanistas. Ele usa a mitra de dagom e carrega em seu manto dourado duas grandes conchas. No que se refere as conchas sabemos que no paganismo representam a figura de Lucifer, também Vênus e Afrodite. A imagem da concha é bem presente em varias tradições pagãs na Grécia antiga.
Em sua mão o sumo pontífice carrega a cruz vergada outro símbolo bem comum dentro do satanismo Como nos ensina o historiador católico Piers Campton, em seu livro “The Broken Cross: Hidden Hands in Vatican”, editado em 1981, Essa cruz é “um símbolo sinistro, usado pelos satanistas no século VI, o qual foi recolocado em uso desde o tempo do Concílio Vaticano II. Nessa cruz vergada é exibida uma figura distorcida e repulsiva de Cristo, a qual era usada por todos os praticantes de feitiçaria e magia negra, na Idade Média, expressando a passagem bíblica da Marca da Besta…”
Nas imagens a seguir temos o papa segurado o seu cajado adornado com o enfeite de uma pinha e ao seu lado um suporte para velas também contendo este mesmo adorno. Mas qual problema haveria nisto afinal? Não seria comum se usar estas imagens como decoração de objetos religiosos? Afinal este tipo de decorações não são comuns em festas natalinas?
Em verdade nenhum problema haveria se este símbolo não fosse um dos mais utilizados em religiões pagãs, para simbolizar a eternidade e vida eterna, a sensualidade, desejos sexuais, orgias, fertilidade e também vários tipos de cultos místicos que praticam a necromancia, astrologia e outras artes místicas.
A pinha e o pinheiro estão profundamente ligados ao paganismo de inúmeras religiões no mundo antigo e moderno, podendo ser encontrada nas cerimônias e objetos destas religiões
A mão mágica de bronze, data do período final do Império Romano, quando as ciências ocultas se proliferaram grandemente, esta mão trás os principais símbolos desta época uma cabeça de enguia e uma pinha.
Os adoradores de Dionísio procuravam entrar em um estado de frenesi, durante o qual tinham visões sobre o futuro.” [Mind and Magic, Francis X. King, Crescent, Grã-Bretanha, 1991, pg 150.] Este culto pagão praticava muitos outros tipos de cerimônias dentre elas orgias sexuais e manifestações espirituais.
A pinha estava presente nas imagens que representavam o deus grego Dionísio na imagem o vemos segurando um cajado com o adorno de uma pinha na ponta, simbolizando a fertilidade e sexualidade.
A gravura a seguir representa Baco, o deus da bebida segurando um bastão que tem uma pinha na ponta. Os pagãos gostam de beber prodigamente e se deleitam em suas bebedeiras. Portanto, não devemos ficar surpresos ao saber que Baco é celebrado como se estivesse desejando a vida eterna, ao mesmo tempo em que se embriaga. Você já observou que a Igreja Católica Romana enfrenta o problema do alcoolismo entre seu clero e seus fiéis? Além disso, países católicos, como a Irlanda, França e Itália também são conhecidos pelo alto consumo de álcool.
Como vimos era comum no paganismo o uso de pinhas para decorar cetros e bastões. A próxima imagem nos mostra um bastão com uma pinha na ponta usado para cultuar e simbolizar o deus-sol Osíris, (Museu Egípcio, Turin, Itália). Ao lado uma gravura de um deus mexicano segurando uma pinha e um pinheirinho, símbolos do renascimento e do sol
Dentro do paganismo de muitas religiões a pinha também é usada para representar o poder da regeneração. Na gravura que expomos a seguir vemos um deus alado assírio segurando uma pinha atribuindo a ela tais propriedades.
Mediante a todas estas evidencia que provam que estes adornos não passam de simbolismo pagão, por que a Igreja Católica aderiu a estes símbolos? Por que faz tanta questão em mostra-los em seus utensílios cerimoniais e exatamente ocupando os mesmos lugares que ocupam no paganismo?
Fotos da maior pinha do mundo, na Praça de São Pedro, no Vaticano, no Pátio da Pinha.
Existe também outras influencias vindas da maçonaria e religiões secretas, mostrando que o Catolicismo agregou membros pertencentes a basicamente qualquer costume religioso e culto a deuses estranhos.
Símbolo Papal = Símbolos Maçônicos e Shamash.
Acima temos a roda das oito etapas um símbolo usado na adoração ao Sol e também a Cruz Maltesa. De um lado artefato e construção do Paganismo e do outro o Papa e construção Católica. Não seria difícil persuadir um pagão adorador do Sol a se tornar adepto do Catolicismo, já que não parecem haver diferenças nem em vestimentas como em construções.
Como já foi mencionado antes, o Catolicismo é um grande movimento religioso. No entanto isso só pode ser possível graças a venda barata de sua fé, adquirindo uma identidade que mais parece a junção de centenas de cultos diferentes, do que uma igreja cristã.
Se procurarmos semelhanças entre o culto apresentado na Bíblia e o culto praticado no Catolicismo, basicamente não encontramos nenhuma. Porem se procurarmos no Paganismo de varias religiões ao redor do mundo conforme já temos provado através de muitas evidencias, certamente encontraremos inúmeras semelhanças.
Bibliologia:
Biblia de estudo Bolma versão digital
Easton’s Illustrated Dictionary.
livro “The Broken Cross: Hidden Hands in Vatican”
Mind and Magic, Francis X. King, Crescent, Grã-Bretanha, 1991, pg 150
www.espada.eti.br

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

SOBRE A CARNE, O CORPO, O ESPÍRITO E O ESPÍRITO SANTO

 SOBRE A CARNE, O CORPO, O ESPÍRITO E O ESPÍRITO SANTO


O que é a carne? 

Muitos pensam que quando falamos sobre a carne, nos referimos apenas na matéria, ou seja, no corpo físico. Mas visto que estamos tratando de coisas espirituais, vamos deixar que a mente de CRISTO trabalhe neste assunto.

CARNE VONTADE

A carne, representa a vontade da pessoa satisfazer seu eu. O apóstolo Paulo ensinou sobre isso dando ele mesmo como exemplo. Vamos ver: “Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e, sim, o que detesto Ora se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim; isto é, na minha carne (vontade), não habita bem nenhum: pois o querer o bem está em mim; não porem, o efetuálo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero esse eu faço. Mas, se faço o que o que não quero, já não sou eu quem faz, e, sim, o pecado que habita em mim. Então o querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. Porque no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de DEUS (Rm 7: 15/22)...

Podemos notar que Paulo tinha sérios problemas com sua carne (vontade). Se ele que foi um apóstolo tão abençoado, cheio do ESPÍRITO SANTO teve este tipo de problemas, imagine nós que estamos muito longe de alcançar seu nível espiritual?! Acima de tudo o DEUS que se fez carne e habitou entre nós, disse que a carne é fraca. Quem somos nós para contestar o que disse CRISTO. E olha que o SENHOR VENCEU TUDO, INCLUSIVE A CARNE, foi o único!...
Paulo apóstolo dos gentios, em carta aos filipenses Cp 1 v 20 ao 24, escreveu: Segundo a minha ardente expectativa e esperança de que e nada serei envergonhado; antes com toda ousadia; como também agora, será CRISTO engrandecido no meu corpo (físico) quer pela vida quer pela morte. Porquanto, para mim o viver é CRISTO, e o morrer é lucro. Entretando, se o viver ainda na carne (corpo) traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher. Ora, de um outro lado estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com CRISTO o que é incomparavelmente melhor. Mas por vossa causa, é mais necessário permanecer na carne (corpo).
Aqui nos versículos que lemos, Paulo fala do corpo físico e da carne como uma coisa só. Diferente de (Rm 7: 15/22), que falava do mal que habitava na carne (vontade) dele.

Bom, nós temos dois exemplos:
1 – Da carne que é nossa vontade de se inclinar para o mal.



2 – Da carne que é a mesma coisa que nosso corpo físico. Paulo até chegou a dizer que seria melhor deixar o corpo, ou seja, morrer e estar com CRISTO O QUE É INCOMPARAVELMENTE MELHOR.

O ESPÍRITO SANTO

Nosso corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO, mas que corpo? Nós temos um corpo mortal, como nosso corpo mortal pode ser o templo do ESPÍRITO SANTO? Pode o templo do ESPÍRITO SANTO voltar ao pó da terra?

Quando o homem e a mulher se casam e estão em pleno relacionamento sexual, vocês acham que o ESPÍRITO SANTO esta ali, ou deu uma fugidinha neste ato? Amados, na verdade no sexo entre casados o que está acontecendo é um relacionamento carnal, é carne batendo com carne, é nossa carne que está se satisfazendo. Ninguém é espiritual na hora do sexo.
Mas a bíblia diz que nosso corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO. Fica a pergunta: que corpo? Eis a resposta:

Quando a bíblia diz que nosso corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO, ela esta falando do homem interior = ao espírito que da vida ao nosso corpo mortal, pois nosso espírito é imortal.
Vamos conferir na bíblia.
Porque todas as coisas existem por amor de vós, para que a graça, multiplicando-se, torne abundantes as ações de graça por meio de muitos, para glória de DEUS. Por isso não desanimamos; pelo contrário, mesmo que nosso homem exterior (=a nossa carne vontade) se corrompa, contudo o nosso homem interior (=ao nosso espírito que é imortal) se renova de dia em dia (2 Co 4: 15-16). Entenderam agora? Quando a bíblia fala que nosso corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO, ela fala do homem interior = nosso espírito que voltará para DEUS. Vamos ler mais um versículo:

Para que segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu ESPÍRITO no homem interior;... (=ao nosso espírito que é imortal) Ef 3: 16. Mais um v:

E vos revestistes do novo homem (=homem interior) que se refaz para pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou (Cl 3: 10)...
Porque no tocante ao homem interior (=nosso espírito que é imortal), tenho prazer na lei de DEUS (Rm 7: 22)...

Amados, esse nosso corpo de carne que muitos ensinam (TAMBÉM JÁ ENSINEI ASSIM), que é o templo do ESPÍRITO SANTO, na verdade a bíblia chama de: corpo de humilhação (Fl 3: 21). – Corpo de corrupção (1 Co 15: 42). – Corpo de desonra 2 (Co 15: 42). – Corpo em fraqueza (1 Co 15: 43).
Amados, nós teremos um corpo glorificado. Este corpo de carne veio do pó da terra e para ele voltara.

Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar dolhos, ao resoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos em CRISTO ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade. E quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, então se cumprirá à palavra que está escrita; tragada foi à morte pela vitória (1 Co 15: 51/54).

Por Aloísio (Iso)